Terça-feira, 16 de Dezembro de 2008

Segundo a definição dos Narcóticos Anónimos a Toxicodependência é uma doença que se demonstra em aspectos físicos, psicológicos, espirituais (a nível de mentalidade) e é progressiva, tornando-se crónica e incurável. Uma definição mais cientifica diz que a toxicodependência se refere um estado de dependência psicológica e/ou física originado pelo consumo repetido de uma substância psicoactiva, caracterizado pela procura e consumo compulsivo, por vezes descontrolado, de drogas que persiste mesmo tendo em conta consequências negativas extremas.

A toxicodependência, tal como o nome indica, é um estado que gera no indivíduo dependência de substâncias tóxicas para o seu organismo. A dependência de determinada substância deve-se às alterações que a mesma gera no sistema nervoso, aumentando o número de receptores nervosos existentes para essa substância. Isto leva a que o corpo sinta uma maior necessidade de adquirir os componentes da droga em questão.

Apesar de a toxicodependência ser sempre associada à droga, qualquer tipo de vício em matérias que sejam nocivas para o organismo, sejam elas o álcool, o tabaco ou as drogas.

A toxicodependência para além de todos os problemas físicos e psicológicos inerentes é também um grande problema das sociedades. Os toxicodependentes vêem-se muitas vezes envolvidos em crimes de roubo ou de homicídios, que utilizam como modo de obter meios para saciar a sua dependência. Para além disso a sociedade tem tendência a estigmatizar os toxicodependentes, encostando-os a um canto, em vez de tentar criar infra-estruturas capazes de os apoiar e de por um fim a este grande problema mundial.

 

Informação retirada de: http://padrejulio.do.sapo.pt/droga/index.html

                                    http://www.idt.pt/id.asp?id=p5

 



publicado por healthpoliceap às 11:51 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Quinta-feira, 11 de Dezembro de 2008

Tabagismo significa abuso de tabaco. É o vício de fumar regularmente um número considerável de cigarros, cigarrilhas, charutos ou tabaco de cachimbo, ou seja qualquer variante do tabaco. Caracteriza-se por uma dependência física e psicológica da nicotina, uma droga psicoactiva existente na folha do tabaco que torna o mesmo viciante.             

Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), anualmente cerca de 4,9 milhões de pessoas morrem, em todo o mundo, em resultado do tabagismo. Se esta tendência não for travada, a mesma organização estima que, em 2020/30, esse número chegará aos 10 milhões de pessoas por ano, 7 milhões das quais em países em vias de desenvolvimento. Isto mostra bem o porquê de o tabagismo ser a maior causa de morte evitável em todo o mundo, causando mais mortes que a SIDA, álcool, heroína, cocaína, suicídios e acidentes de automóvel todos juntos. Para além disso estima-se que sejam gastos cerca de US$ 200 biliões de dólares por ano, e em todo o mundo, em problemas de saúde e sociais associados ao tabagismo.

O fumo produzido pelo consumo do tabaco contém mais de quatro mil compostos químicos com efeitos tóxicos e irritantes, dos quais mais de 40 são reconhecidos como cancerígenos.

Estudos epidemiológicos confirmam a associação entre o tabagismo e...

  • Um terço de todos os casos de cancro;
  • 90 por cento dos casos de cancro do pulmão;
  • Cancro do aparelho respiratório superior (lábio, língua, boca, faringe e laringe);
  • Cancro da bexiga, rim, colo do útero, esófago, estômago e pâncreas;
  • Doenças do aparelho circulatório, dos quais a doença isquémica cardíaca (25 por cento);
  • Bronquite crónica (75-80 por cento), enfisema e agravamento da asma;
  • Irritação ocular e das vias áreas superiores.

     O tabagismo não é factor de risco apenas para o próprio fumador, mas também para aqueles que, não sendo fumadores, se encontram frequentemente expostos ao fumo passivo. Como já foi dito anteriormente a maior parte dos danos causados pelo tabaco são provenientes do seu fumo. Como este se dispersa muito facilmente mesmo as pessoas que não fumam estão sujeitas aos malefícios do tabaco, especialmente em espaços fechados. Dados recolhidos em 1992, pela Comissão Europeia, revelaram que 29 por cento dos fumadores portugueses nunca se abstêm de fumar em presença de não-fumadores. De modo a diminuir esta tendência o Governo Português implantou, a 1 de Janeiro de 1008, uma lei que proíbe o acto de fumar em espaços públicos fechados, protegendo assim os “fumadores passivos”.

O tabagismo não gera só problemas de saúde, mas também problemas sociais. Caso os gastos que um fumador tem com o tabaco sejam muito elevados, podem ter influências graves no orçamento do indivíduo ou da família. Para além disso as largas despesas que os governos têm com os problemas relacionados com o tabaco, podiam ser utilizadas para outros fins mais produtivos, o que seria um grande impulso no melhoramento dos sistemas de saúde internacionais.

 

Informação retirada de: http://pt.wikipedia.org/wiki/Tabagismo 

http://www.min-saude.pt/portal/conteudos/enciclopedia+da+saude/estilos+de+vida/tabagismo.htm 

http://www.juventude.gov.pt/Portal/SaudeSexualidadeJuvenil/TemasConsumosNocivos/tabagismo.htm

 



publicado por healthpoliceap às 00:40 | link do post | comentar

Quarta-feira, 10 de Dezembro de 2008

Praticar actividades fisicas é fundamental para a qualidade de vida, mas os excessos podem trazer mais problemas para o corpo do que o sedentarismo.

            Entre as vantagens da actividade fisica estão o fortalecimento dos ossos e da musculatura, a renovação da energia e a contribuição para o equiíibrio entre o corpo e a mente. Porém, tudo isso só pode ser alcançado se os exercícios forem feitos de forma correcta.
              Há quem se preocupe mais com a vaidade do que com a saúde, deixando de se alimentar correctamente e exagerando nos esforço fisico. Tudo para alcançar o que supõe ser o padrão de beleza. Nessa corrida em busca da perfeição, muitas vezes os limites do próprio corpo não são respeitados e, em vez de melhorias, o que se colhe são danos no organismo.
              É importante estar atento aos sinais do corpo para diagnosticar se os limites foram ultrapassados e a saúde prejudicada. Alguns dos sintomas causados são: dor muscular, redução do desempenho, variações de apetite e peso, queda do sistema imunológico, aumento da frequência cardíaca, insónias, lesões repetidas, depressão e irritabilidade.

O excesso de exercicio fisico pode tornar-se um vício. A pessoa torna-se dependente da hormona endorfina, que é libertada quando se pratica actividade física e causa uma sensação de bem-estar. Esse vício é chamado por alguns especialistas de síndrome do overtraining. Passar horas a fazer exercício é tao prejudicial quanto levar uma vida sedentária, pois causa um desgaste fisico intenso.

Para evitar esses problemas, existem alguns requisitos básicos. Por exemplo, passar por uma avaliação médica antes do início dos treinos, encontrra uma boa academia onde haja profissionais qualificados que acompanhem os treinos e passem exercícios indicados para cada pessoa. Três vezes por semana é suficiente.

Não existe uma formula universal do que é aconselhável em termos de prática de exercícios. Cada pessoa tem o seu limite e reage de forma diferente. O que é excesso para um, pode não ser para outro. O importante é estar atento às sensações transmitidas pelo corpo.

 

~Informação retirada de:

http://www.hipermeios.com.br/spip.php?article33

 



publicado por healthpoliceap às 19:42 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Segunda-feira, 8 de Dezembro de 2008

O alcoolismo é definido como o consumo consistente e excessivo de bebidas alcoólicas, ao ponto de este comportamento interferir com a vida pessoal, familiar, social e/ou profissional de um individuo, bem como prejudicar a sua saúde.

O alcoolismo possui um forte poder de influência social e os alcoólicos tendem a evitar este estigma. Esta defesa natural para a preservação da auto-estima acaba por proporcionar atrasos na intervenção terapêutica. Para iniciar o tratamento é necessário que o alcoólico mantenha a sua auto-estima mas sem negar a sua condição de alcoólico.
        
       As manifestações que comprovam que alguém é alcoólico podem começar com vómitos, dores abdominais, diarreia, gastrites, aumento do tamanho do fígado, tornando-se frequentes pequenas contusões e outros tipos de ferimentos. Para além destas, acontecem geralmente esquecimentos e aumento da susceptibilidade a infecções.
        
       Existem vários aspectos que podem induzir ao alcoolismo: para ficar desinibido sexualmente, para evitar a vida sexual, devido a transtornos de ansiedade, depressões, insónias, problemas no trabalho/família/outros, etc.

O alcoolismo leva a problemas de saúde não só física mas também psicológica, sendo um dos problemas mundiais do uso de drogas, trazendo mais custos para os países, do que todos os outros problemas de consumo de droga combinados.

 

Informação retirada de :

http://pt.wikipedia.org/wiki/Alcoolismo

               http://mapadocrime.com.sapo.pt/alcoolismo.html

 

 



publicado por healthpoliceap às 22:36 | link do post | comentar

mais sobre mim
Maio 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
28
29
30

31


posts recentes

Actividade na Escola do B...

O Evento do Ano ^^

O 3º período

Balanço do 2º Período

Os Anúncios

O Produto do 1º Período

Toxicodependência

O Tabagismo

Excesso de Esforço Fisico

O que é o alcoolismo?

arquivos

Maio 2009

Fevereiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008